Voltar

No começo da década de 2000, quando organizações da sociedade civil começaram um movimento para a construção de um tratado que regulasse um mercado que movimenta US$ 60 bilhões de dólares por ano, poucos países acharam que um acordo era possível.

O Sou da Paz participou ativamente, com organizações da sociedade civil e junto ao Governo Brasileiro, para que a aprovação do Tratado de Comércio de Armas se tornasse realidade. Este tratado visa erradicar o comércio ilícito de armas internacionais, bem como prevenir o desvio dessas armas e promover a cooperação e transparência entre os países membros.

O Brasil, que está entre os cinco maiores exportadores de armas pequenas e leves, já assinou o tratado, mas ainda não ratificou.

Nesta área o Instituto compartilha documentos e estratégias que cobrem o período de aprovação do tratado e o esforço atual para garantir que passe rapidamente a vigorar.