Voltar

Número de homicídios dolosos cresce 15% em São Paulo

Matéria publicada no jornal O Globo, dia 25 de março de 2013.

JAQUELINE FALCÃO
LEONARDO GUANDELINE

SÃO PAULO - O número de homicídios cresceu 15% no estado de São Paulo no primeiro bimestre deste ano ante o mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro de 2013, foram registradas 787 ocorrências desse tipo. No mesmo período de 2012, o número de homicídios dolosos foi de 684. As estatísticas fazem parte de balanço divulgado nesta segunda-feira pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) paulista, que também registrou no estado crescimento dos casos de tráfico de drogas e estupro. Na capital paulista, os latrocínios, roubos seguidos de morte, mais do que dobraram em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês de 2012 – 15 contra sete. Na região metropolitana, o número de vítimas de latrocínios manteve-se estável no mesmo período: 16 mortes.

Na cidade de São Paulo, além do aumento no número de latrocínios houve, também, um crescimento de 14,1% no de homicídios dolosos. Foram 89 casos contra 78 crimes no mesmo período do ano passado.

As estatísticas da SSP apontam, ainda, aumento nas ocorrências de tráfico de drogas tanto na capital quanto no estado. Foram 3.360 casos (fevereiro de 2012) para 4.015 (mesmo mês deste ano) no estado. Na capital, foram 682 casos no mês passado ante 658 em fevereiro de 2012.
Os casos de estupro também subiram no estado. Foram 2.195 ocorrências registradas no primeiro bimestre deste ano. Em janeiro e fevereiro de 2012, foram contabilizados 1.975 crimes desta natureza.

Os roubos de veículos cresceram de 13.546 para 14.627. Já o número de roubo a bancos, de acordo com a secretaria, registrou uma queda de 11,43% neste bimestre. O total de ocorrências desse tipo passou de 35 nos dois primeiros meses de 2012 para 31 no mesmo período deste ano.

A taxa de homicídio por 100 mil habitantes, calculada com base nos últimos 12 meses, ficou, de acordo com a SSP, em 11,67 no estado de São Paulo.

Para Luciana Guimarães, do Instituto Sou da Paz, o aumento do número de homicídios em todo o estado é menor do que o registrado nas últimas séries comparativas. Ela acredita que com a retomada do uso da inteligência policial, com o secretário Fernando Grella Vieira, que substituiu no fim do ano passado, durante a onda de violência na Grande São Paulo, o secretário Antonio Ferreira Pinto, os homicídios voltem a cair e chegar novamente a índices aceitáveis pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que considera a taxa ideal abaixo de 10 por 100 mil habitantes.

- Em relação aos latrocínios, o que chama a atenção é que os números continuam bastante altos. O latrocínio é um roubo que não deu certo. E ainda não conseguimos dar uma resposta para o aumento do número de roubos. Falta, também, uma agenda de esclarecimento em relação a esse crime – opina.

Sabrina Bueno, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, diz que, apesar da mudança do secretário e do comando das polícias paulistas, no fim do ano passado, a falha continua no modelo adotado pelo governo estadual.

- Temos, ainda, uma taxa de resolução de crimes muito baixa por parte da Polícia Civil, índices altíssimos de letalidade em relação à Polícia Militar, as polícias são mal pagas, há pouca integração entre elas, presídios lotados e um déficit de vagas de 80 mil presos no estado.E o incremento no número de homicídios é evidência do modelo que vem sendo adotado. Acho que é o momento de se rediscutir a política de segurança pública.

Para ler a matéria completa, clique aqui