CONTATO

Entre em contato pelo telefone
(11) 3093-7333, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h; pelo
e-mail atendimento@soudapaz.org, ou envie uma mensagem por meio do formulário a seguir:


Assessoria de Imprensa

Izabelle Mundim
izabelle@soudapaz.org


Desejo receber as newsletters do Instituto Sou da Paz.

MATÉRIAS

Governo repete discurso desde que indicadores aumentaram

Artigo publicado pelo jornal Folha de S. Paulo em 27 de outubro de 2012:

LIGIA RECHENBERG ESPECIAL PARA A FOLHA

Setembro foi o mês mais violento do ano na capital paulista. O saldo de pessoas assassinadas, 144, é o mais alto de 2012 e também o maior desde janeiro de 2010.

No acumulado dos nove meses deste ano o número de mortos já se aproxima do total de 2011 inteiro. As estatísticas revelam o que todos já percebemos nos últimos meses: há uma crise da segurança em São Paulo.

A expressiva quantidade de roubos, os latrocínios que voltaram a crescer em setembro, o número de mortos pelas polícias são sinais de que a situação é muito grave.

Desde que os indicadores começaram a subir, as autoridades têm adotado um discurso que ora exime a polícia de suas responsabilidades na contenção dos crimes (clamando mudanças na legislação penal), ora contribui para os confrontos ao apoiar uma atuação mais “enérgica” por parte da polícia, ora minimiza o problema, negando a suposta guerra entre PM e PCC e tratando com naturalidade o fato de que quatro pessoas morrem assassinadas por dia na cidade -isso sem contar os mortos pelas polícias.

Mais do que tentar entender o que está por trás da crise e se há de fato uma guerra, é preciso questionar se esse discurso que vem sendo repetido desde junho precisa ser revisto. Afinal, de lá pra cá, nada melhorou.

Os acontecimentos das últimas madrugadas, com mais PMs atacados e civis baleados e mortos nas periferias, indicam que a tendência é que o bang-bang continue.
É mesmo dessa política de segurança pública que São Paulo precisa nesse momento?

LÍGIA RECHENBERG é coordenadora do Núcleo de Análise de Dados da ONG Instituto Sou da Paz

QUER FAZER PARTE?

APOIE O SOU DA PAZ

A Paz na Prática acontece com você.

#SouDaPaz

Participe das nossas redes sociais