Voltar

23/08/2017

Instituto Sou Da Paz promove visita ao Centro de Orientação ao Adolescente de Campinas (COMEC)

Profissionais dos programas executores de medidas socioeducativas conhecem metodologias de atendimento de PSC Coletiva e de Liberdade Assistida

No dia 23 de agosto, o Instituto Sou da Paz promoveu uma visita ao Centro de Orientação ao Adolescente de Campinas (COMEC). A visita teve por objetivo conhecer a metodologia e os princípios que norteiam o atendimento aos adolescentes e jovens em cumprimento de Prestação de Serviços à Comunidade, desenvolvido pelo COMEC, que prioriza o processo pedagógico, comunitário e coletivo da PSC.

Participaram da visita os profissionais de dois programas executores de medidas socioeducativas em meio aberto da Brasilândia, além de profissionais da EMEF Theo Dutra, do Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo (CEDESP) Santa Terezinha e do Programa Vocacional, da Secretaria de Cultura, desenvolvido em equipamentos municipais de cultura e educação da Brasilândia.

Juliana Scarano Vedovello, coordenadora do Programa de PSC, explicou que todo o processo de atendimento é norteado por diretrizes educativas e coletivas, que abrangem: conhecimento sobre o adolescente e sua família, com atenção às demandas de cada caso; o levantamento, a partir do adolescente, de serviço público para acolhida da PSC e da atividade que poderá ser desenvolvida; visita ao serviço de escolha para apresentação e adequação da proposta; preparação do adolescente para o aprendizado e, por fim, desenvolvimento da atividade. ”As equipes de educadores e técnicos do COMEC participam de todas as etapas, valorizando o papel dos técnicos de medidas socioeducativas no acompanhamento dos adolescentes em cumprimento de PSC”, conta “A metodologia pedagógica adotada pelo COMEC é uma aposta de que a Prestação de Serviços à Comunidade pode dar ao adolescente outros assuntos que não apenas o ato infracional ou o fato de ter passado por alguma internação”, explica a coordenadora.

Em uma roda de conversa, todos os profissionais tiveram a oportunidade de fazer perguntas sobre a metodologia, pensando em como trazê-la para o território de atuação. Marili Foltran, coordenadora geral do COMEC, explicou que a instituição atua na área há 37 anos, e que esse tempo foi importante para que pudessem experimentar e repensar suas metodologias. “Além disso, a proximidade com o Poder Judiciário local tem sido fator relevante para a discussão, em tempo, dos desafios que vivem”, diz.

A atuação em rede também foi debatida. A equipe do COMEC compartilhou alguns desafios para o fortalecimento das parcerias e reforçou a importância desse trabalho. Atualmente, o COMEC promove um seminário anual sobre o atendimento socioeducativo para toda a rede de Campinas.